Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

chegada e permanência

I

a criança abriu os olhos e viu tanto brilho
disseram que a mãe
deu-lhe a luz
- puta que pariu!
- quanta luz!
a criança chorou,
tomou banho e se vestiu
no mundo da luz
a criança não sorriu
pediu silêncio,
pediu escuro e dormiu

II

e veio fome de peito,
fome de pão e de afeto
colo de mãe e de pai
e antes do chão, viu o teto

o clarão diminuindo
cada imagem clareando
cores das coisas, foi vendo
vida se foi tecendo

a textura, o mole, o duro
e o território do quarto
desenhando o seu futuro

o sexo e a identidade
pendurados nas paredes
nas cores e nos brinquedinhos
um dizer silencioso
na pelúcia dos bichinhos

e a criança escutando
tornando-se aos pouquinhos
por cada dizer profundo
que falam todas coisas
um ser total deste mundo.

4 comentários:

A cor da Imaginação disse...

Bom retorno.

Cecílio Bastos disse...

"(...) no mundo da luz a criança não sorriu..."

Cada vez mais ficamos distantes de contemplar o nascimento de uma criança sorrindo.

Bacana as palavras poéticas.

Amanda Freittha's disse...

Nossa que profundo!
Adorei o post e seu blog por inteiro!
Voltarei aqui sempre!
Bjs

Victor Fidel disse...

Divuga o blog ômi!
Coloquei o link no poematório.